Ivan vê a Copa

Leio "Garotos da Fuzarca" e tomo nota: o " Bananão" não está preparado para Ivan Lessa. Será que algum dia estará? ( Aliás, como não ter uma paixão fulminante, cumplicidade instantânea, por um livrinho com o título de "Garotos da Fuzarca"? A turma toda de Ipanema ri com olhos infantis e sagazes).

Ivan Lessa é voraz, não tem piedade: tanto daqueles que critica quanto do seu leitor. Não gostou? Vai ler outra coisa que seja mais satisfatório ao paladar provinciano. Aqui não há formalismos de levar o leitor pela mão. É para ser tratado como gente grande.

O escritor trata todo mundo como gente grande, inclusive seus personagens. Algo que só um habilidoso observador consegue: dar a verdadeira voz do personagem. Cada conto é imersão em um diferente (diferente?) universo. Vejamos o caso de "Boneca ao Relento". Como não imaginar a mocinha saltitando de felicidade quando o amado a pede em casamento e ela profere em alto e bom tom "Sim! Sim! Sim! Mil vezes sim! Claro que eu aceitava ser sua esposa."? É eterno, da ditadura militar para o próximo milênio.

E o desfecho dessa inocente moça? Só queria manter sua vidinha, tudo que ela fez foi só por isso! Ela é que vive em um mundo sujo, tudo é sujo, ela só queria manter sua situação social. E, como uma boa heroína, ela se revolta contra a podridão do mundo e vai salvar sua alma ( do resto do mundo viu? Ela já é uma alma de Deus).

Parafraseando Ivan Lessa: foi no tempo do Garotão. Não não, é mais doutoral o negócio. Fala para o povo. Foi esses dias mesmo, na abertura da Copa. Gozado. Conheço essa moça de algum lugar.

Posted on June 23, 2014 .